Português

Comitiva visita Casa de Cultura Hispânica para mapear necessidades de infraestrutura

2 de setembro de 2020

Acompanhado de membros da administração superior e acadêmica, o reitor Cândido Albuquerque visitou a Casa de Cultura Hispânica (CCH) para mapeamento de necessidades de infraestrutura nessa terça-feira (1º). A iniciativa partiu da diretoria do Centro de Humanidades (CH), em virtude do Jubileu de Diamante (60 anos) da casa, a ser comemorado no ano que vem.

A unidade, fundada em 1961, é a mais antiga dentre as Casas de Cultura Estrangeira da Universidade Federal do Ceará e possui cerca de mil alunos matriculados em cursos básicos e preparatórios de língua espanhola.

Participaram da visita, além do reitor, o assessor do Gabinete do Reitor, Ademar Gondim; o pró-reitor de Gestão de Pessoas, Prof. Marcus Vinícius Veras Machado; o diretor e o vice-diretor do Centro de Humanidades (CH), professores Cícero Anastácio Araújo de Miranda e Luiz Fábio Silva Paiva, respectivamente; a coordenadora-geral das Casas de Cultura Estrangeira, Profª Márcia de Melo Fernandes Gradvohl; o coordenador da CCH, Prof. Jimmy Robson Rodrigues; o superintendente de Infraestrutura e Gestão Ambiental (UFC Infra), Everton Bezerra Parente, bem como servidores da Casa de Cultura Hispânica.

VISTORIA – A visita consistiu na observação de diferentes espaços da CCH, começando pela área de estacionamento e convivência, onde, segundo a coordenação, a drenagem deficiente causa transtornos na quadra chuvosa. O percurso seguiu por salas de aula, sala de vídeo, salas de coordenação, espaço dos professores e terraço. A Profª Márcia Gradvohl, coordenadora-geral das Casas de Cultura Estrangeira, ressaltou que não só a hispânica, mas todas as casas precisam de um bom olhar da administração superior. “Nós fizemos, no começo da gestão, um relato de todas as necessidades e entregamos à diretoria do CH, que agora está pessoalmente demandando essa atenção da Reitoria. Infiltrações e cupins ameaçam a memória da Universidade, pois são prédios históricos“, destacou.

O próximo passo será a elaboração de um macrolevantamento, para viabilizar projetos e orçamentos. “Está realmente precisando, pois, só nessa visita breve, já vimos cupins, infiltrações e problemas de escoamento de água na área externa”, reconheceu o reitor, acrescentando que o superintendente da UFC Infra esteve presente justamente para diagnosticar e dar celeridade ao processo, já que em breve deve ser anunciado o retorno às atividades em modalidade híbrida.

O dirigente reforçou ser prioridade da gestão – que anunciou na semana passada um pacote de investimentos de R$ 27 milhões a serem aplicados em infraestrutura e equipamentos para as unidades – resolver permanentemente as demandas. “Se você age de maneira paliativa, sai muito mais caro, pois em dois anos já necessita de retrabalho. Se você resolve de maneira definitiva, só irá fazer manutenção”, finalizou.

Confira a notícia na íntegra no Portal da UFC. 

Fonte: Gabinete do Reitor ‒ e-mail: greitor@ufc.br