Português

UFC realiza limpeza no Açude Santo Anastácio e estuda causa de mortandade de peixes

9 de abril de 2016

A Universidade Federal do Ceará (UFC) deu início, nessa sexta-feira (8), à limpeza do Açude Santo Anastácio, bem como à pesquisa laboratorial sobre a situação de suas águas após o desequilíbrio ambiental que provocou a morte de grande número de peixes. O desequilíbrio está relacionado às fortes chuvas que atingiram a Capital e levaram, para o açude, grande volume de matéria orgânica sedimentada no fundo do riacho, que atravessa diversas comunidades da Capital.

Com isso, houve expressivo aumento da flora bacteriana e de microalgas e, consequentemente, um brusco consumo do oxigênio nas águas do açude, levando à mortandade da fauna local. Além disso, a queda na temperatura contribuiu para agravar o quadro.

Como medida emergencial, a Superintendência de Infraestrutura da UFC deu início à retirada das microalgas do açude, bem como dos peixes mortos. Em paralelo, amostras da água foram encaminhadas para análise no Departamento de Química da Universidade. Pesquisadores da UFC estão acompanhando para indicar os melhores procedimentos a serem adotados a fim de tentar conter o dano ambiental. Estima-se que o período de recuperação da população de peixes se dê entre 30 e 40 dias.

O Açude Santo Anastácio passa por ações permanentes de limpeza, com retirada de aguapés e resíduos, mas sofre com alto grau de poluição das águas que o alimentam, vindas de áreas externas à UFC. Ele também é objeto de várias pesquisas científicas, bem como de projetos de extensão que trabalham questões relacionadas à educação ambiental das populações dos bairros do entorno.

Veja também:

Açude Santo Anastácio necessita de ações definitivas do poder público
Informações técnicas sobre o Açude Santo Anastácio

Fonte: Prof. Ademar Gondim, titular da Superintendência de Infraestrutura da UFC – fone: 85 3366 9543